Procurando crescer no papel de liderança de nível C? Aposte no e-commerce.

e-commerce

Papéis como o Chief Marketing Officer (CMO) e o Chief Digital Officer (CDO) estão cada vez mais interligados, assim como as perturbações do mercado de marcas direto-com-consumidor (D2C) e digitais em uma ampla gama de indústrias, de acordo com a CreativeStorm.

Marcas de sucesso e suas equipes de marketing reconhecem o crescimento e a importância de longo prazo do e-commerce e estão priorizando papéis e atividades que os colocarão à frente dos concorrentes. Para os profissionais de marketing que buscam crescer em funções de liderança de nível C em suas empresas, há uma oportunidade real de fazê-lo, colocando o foco nas responsabilidades de comércio eletrônico associadas à análise de dados e à autoridade de se reportar diretamente à liderança.

Russ Dieringer, diretor executivo da Cleveland Research, falou recentemente em um evento na área de Boston e compartilhou algumas descobertas reveladoras baseadas na pesquisa de sua empresa que pesquisou 144 empresas.

Entre as equipes de e-commerce, a Cleveland Research pesquisou:

  • 40 por cento relatam para vendas.
  • 29 por cento relatam para a liderança.
  • 18 por cento reportam ao marketing.
  • 14 por cento relatam para outro departamento.

Russ enfatizou a ideia de que as equipes de e-commerce que se reportam à liderança são mais eficazes. O sucesso do comércio eletrônico é um alvo em movimento que requer a capacidade de agir rapidamente quando se trata de eliminar as ineficiências e capitalizar as vantagens.

Das 85% das empresas pesquisadas, a maioria tinha um executivo de nível médio a sênior liderando o comércio eletrônico para suas organizações. Por ter uma linha direta para a liderança, as equipes de comércio eletrônico e os profissionais de marketing podem obter a adesão necessária em iniciativas importantes para que possam agir. Isso é crítico.

Com o crescente conteúdo do produto e as necessidades promocionais, o lado de marketing do comércio eletrônico agora abrange uma gama cada vez maior de funções de negócios. O desalinhamento entre essas partes pode ser devastador.

Um anúncio de mídia social direcionando tráfego para uma página de produto da Amazon pode ser uma ótima maneira de impulsionar as vendas, mas se esse produto ficar fora de estoque durante a promoção e as visitas continuarem, a classificação de busca orgânica desse produto será prejudicada significativamente meses depois.

Da mesma forma, os anúncios do Amazon Marketing Services (AMS) são utilizados por 70% das marcas, de acordo com a pesquisa da Cleveland Research. Porém, à medida que mais dinheiro flui para esses produtos publicitários, o custo por clique (CPC) sobe naturalmente e o ROAS (retorno sobre publicidade) fica mais desafiador, exigindo mais criatividade, testes e conhecimento de marketing.

É preciso haver uma estreita relação de trabalho entre as equipes de e-commerce, marketing de marca e recursos externos para mitigar possíveis efeitos indiretos. Apenas 16% das empresas pesquisadas tinham esse tipo de estrutura organizacional colaborativa, de modo que colocar sua empresa aqui pode proporcionar uma vantagem competitiva.

Considere, pelo menos, liderar reuniões regulares semanais ou quinzenais entre as equipes de e-commerce e marketing de marca para dar início ao processo.

Perspectivas de pessoal

Além dessas necessidades de alinhamento interdepartamental, as marcas que buscam vencer nos canais de comércio eletrônico estão lidando simultaneamente com as principais necessidades do ponto de vista pessoal. Os analistas de dados que podem gerenciar funções integrais para a tomada de decisões de comércio eletrônico, como rastreamento ou teste de desempenho de página, estão em alta demanda.

A Cleveland Research relata que 47 por cento das empresas pesquisadas disseram que planejam contratar pessoal de análise de dados em 2018. Esse número foi 12 por cento maior do que a próxima maior função de trabalho. Como os profissionais de marketing orientados para o comércio eletrônico trabalham para trazer essa expertise externa, eles também devem ampliar seus próprios conhecimentos na área de análise de dados, pelo menos em alto nível, a fim de serem líderes mais eficazes em suas organizações.

Concluindo

Profissionais de marketing inseridos na prática de comércio eletrônico em suas empresas estão enfrentando problemas muito parecidos com o que o CEO moderno está enfrentando em seu dia-a-dia: gerenciando mudanças disruptivas e trabalhando de maneira inteligente para gerenciá-lo e superar os concorrentes.

Para os profissionais de marketing que desejam se posicionar em uma posição de liderança sênior, trabalhar ativamente para lidar com as lacunas e oportunidades presentes nas práticas de comércio eletrônico de sua organização é o melhor caminho para o famoso escritório grande.

Para mais artigos relacionados, acesse YMDA News ou CreativeStorm.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lista de Espera Nós o informaremos quando o quando o treinamento estiver disponível. Deixe seu email para contato logo abaixo.
Email Nós não compartilharemos seu email com ninguém.
WhatsApp chat